agosto 13, 2007

ERA

para o Charlie, irmão de espírito

Era um romântico
Que plantou seu coração
Na esperança da ocorrência
De um magnífico germinal

Sobre ele não nasceram homens
Antes imensa extensa floresta
De betão

O coração, esse
Apodreceu por sufoco

Mário Lisboa Duarte



expressão visual por margem d'arte

3 comentários:

Anónimo disse...

excelente o "som" da(s) palavra(s)!

sorrisos extensos por aí...:)*




marisa*

mesnitu disse...

lindo ! e que sufoco ...

Confúcio Costa disse...

Interessante. Bastante.

Abraço.