dezembro 01, 2006

ESPELHO DO PASSADO

Embora ciente
De que um espelho
Será sempre
Reflexo afluente
De fontes rio reminiscência,
Onde outrora mergulhámos,

Pego no passado
E planto-lhe uma pedra,
Estilo tumba ancestral
Renegando uma após outra,
Todas as cósmicas nostalgias
Que um determinado espaço de tempo
Pode conter em si próprio.

Mário Lisboa Duarte



expressão visual por Frederico Fonseca

1 comentário:

Goncalo Veiga disse...

Gostei muito desse.